Prensa obreira

Em lembrança de Rosa Bassave

Rosa BassaveHoje, 11 de setembro, é um dia de lembrança para a CNT pois já vão cinco anos desde que Rosa Bassave nos deixou.

Depois de uma vida inteira dedicada à luta contra a opressão e a dominação, contra o fascismo, o poder, o capital e o patriarcado, uma luta que percorreu muitos caminhos mas que a mantiveram sempre do lado que devia: ao lado da classe trabalhadora, das mulheres, dos fracos, das pessoas oprimidas, uma luta incansável além da perseguição, a repressão e também a doença, uma luta que a inscreve na digna história de luita da classe trabalhadora, da Galiza e, humildemente, do mundo.

Paralelamente à sua militáncia anarcosindicalista não descoidou outras frentes de luta, como foram o feminismo, participando na refundação de Mulheres Livres em 1988 e logo na Marcha Mundial das Mulheres, ou a intervenção cultural desde o Ateneu Libertário de Compostela, no que participava destacadamente na redação da revista (A)narquista. Dedicou-se com intensidade a propagar as ideias libertárias e feministas em múltiplas conferências e mítines ao longo dos anos. Teve também uma participação destacada nas reivindicações da memória histórica e na recuperação do conhecimento do passado revolucionário da CNT.

Em lembrança de Rosa, lembramos também o documentário realizado por Uqui Permuy, estreado na homenagem à Rosa realizada pelo feminismo de Compostela em 2013, em celebração do dia da Mulher Trabalhadora.

Companheira, lá onde estiveres, um beijinho das tuas companheiras e companheiros.